Séries

As Protagonistas

Direção: Tata Amaral

Descrição: Conta a história do audiovisual brasileiro a partir da produção das cineastas mulheres. Com narração e comentários da cineasta Tata Amaral, se inicia em 1931, com o filme de Cleo de Verberena, O caso do dominó preto, e percorre a produção das cineastas, até os dias de hoje. Ao longo dos episódios a narrativa utiliza trechos dos filmes e obras audiovisuais, documentos, fotos, recortes de jornais, depoimentos das autoras e de pesquisadores para contar a trajetória de mais de 70 cineastas: Adélia Sampaio, Helena Ignez, Helena Solberg, Sandra Kogut, Letícia Parente, Sonia Andrade, Ana Maria Magalhães, Tizuka Yamasaki, Suzana Amaral, Lucia Murat, Carla Camurati, Anna Muylaert, Laís Bodanzky, Viviane Ferreira, Eliane Caffé, Yasmin Thainá, Graci Guarani, Julia Rezende são alguns dos nomes destacados de mulheres de cinema e do audiovisual brasileiros.

Classificação Etária Indicativa: Livre

Ano de Produção: 2021

País de Origem: Brasil

Classificação Ancine: 01 - Obra Não Publicitária Brasileira, Constituinte de espaço qualificado e Independente.

Dias/Horários: Segunda às 09h30 / Domingo às 10h30 / Sexta às 11h30 / Quarta às 13h00 / Domingo às 18h30 / Quinta e Sábado às 21h00 / Sexta às 22h00

Detalhes Episódio (28/12/2021 - 05:30) As Protagonistas Episodio 12
Duração: 00:29:13
Sinopse: O Brasil no começo do século XXI estava mudado. Através de programas públicos, milhares de estudantes de baixa renda entraram nas universidades. Ao terminarem os estudos, uma nova geração de profissionais passa a reivindicar seu espaço. É o filme de uma mulher que nos conta que as grandes estruturas sociais que começaram a se mover: Que horas ela volta? de Anna Muylaert. Estas mudanças também aconteceram no audiovisual. Entre outros movimentos, o Levante do cinema negro de 2014 foi protagonizado sobretudo por mulheres. Julia Katharine, primeira cineasta trans, começa a produzir. Estas e outras trajetórias, como as de Viviane Ferreira, Yasmin Tayná, Danddara e Adélia Sampaio, mostram que uma nova geração começa a romper o silêncio imposto por séculos de exclusão. Estas vozes se fazem ouvir em toda sua multiplicidade.