Séries

Brasil, Travessias

Direção: Silvio Tendler

Descrição: "Brasil, Travessias" descortina o país que está fora dos cartões postais através da diversidade da arte, da riqueza do povo e da exuberância de paisagens pouco exploradas. As cores, os aromas, os sons e as texturas do país são os protagonistas da série, apresentada pelo engenheiro ambiental e fotógrafo Jurandir Lima. Percorremos onze estados e visitamos mais de 70 cidades para mostrar personagens e lugares que compõem a pluralidade dos tantos brasis que cabem no Brasil. Conhecemos mestres da arte popular brasileira que, através de diversas manifestações, preservam e difundem a cultura do país. Tecido, argila, madeira e sons transformam-se em retratos da nossa cultura. São as rendeiras e bordadeiras, os artesãos do tear, os escultores do barro e da madeira, os cantadores de músicas tradicionais e os que produzem instrumentos tipicamente brasileiros. Distantes dos grandes centros urbanos, eles imprimem em seu trabalho a estética do Brasil profundo, das pequenas vilas isoladas, dos rastros do contato com a cultura indígena, quilombola e européia. A série também revela modos de vida e tradições de diversas regiões. Mostramos a sabedoria das lavadeiras das beiras de rio, a lida das doceiras, a aridez da rotina dos vaqueiros dos sertões, o trabalho dos moradores de áreas rurais da região Sul em baixas temperaturas e as estratégias de sobrevivência de pequenas comunidades isoladas pela seca do nordeste. Visitamos a caatinga, o cerrado, a mata atlântica, a floresta tropical equatorial e os campos sulinos em busca de ângulos pouco explorados pela mídia convencional.

Classificação Etária Indicativa: Livre

Ano de Produção: 2018

País de Origem:

Classificação Ancine: 01 - Obra Não Publicitária Brasileira, Constituinte de espaço qualificado e Independente.

Dias/Horários: Segunda a quinta às 22h00 / Terça a sexta às 11h30 / Sábados às 22h30

Detalhes Episódio (14/04/2019) Brasil, Travessias O Brasil da Viola de Coxo
Duração: 00:27:17
Sinopse: Esculpida em um pedaço de madeira inteiriça, a viola de cocho é um dos instrumentos mais simbólicos do centro-oeste. Seu som, tipicamente brasileiro, está ligado a tempos imemoriais e guarda a identidade do Brasil Central, com suas lendas, mitos, danças e religiosidade. Reconhecida como Patrimônio Imaterial, a viola de cocho é um tipo de alaúde curto produzido exclusivamente de forma artesanal por mestres deste saber. É confeccionada de elementos presentes na fauna e da flora do pantanal e do cerrado. Em 2005, o modo de fazer a viola foi registrado no Livro dos Saberes. Entre os ritmos mais associados ao instrumento estão o cururu, o siriri, o rasqueado e o São Gonçalo, tocados em rodas, festas e celebrações religiosas no Brasil Central. Fomos conhecer em Diamantino, no Mato Grosso, um dos mais renomados luthiers do Pantanal, que nos contou como é viver da sua arte. Também entrevistamos dois capelães que mostraram a importância do instrumento para as ladainhas e outras rezas na região. Em torno de oratórios espalhados na imensidão do Pantanal, fiéis renovam sua fé ao som o cururu.