Séries

Brasil Travessias

Direção: Silvio Tendler

Descrição: "Brasil, Travessias" descortina o país que está fora dos cartões postais através da diversidade da arte, da riqueza do povo e da exuberância de paisagens pouco exploradas. As cores, os aromas, os sons e as texturas do país são os protagonistas da série, apresentada pelo engenheiro ambiental e fotógrafo Jurandir Lima. Percorremos onze estados e visitamos mais de 70 cidades para mostrar personagens e lugares que compõem a pluralidade dos tantos brasis que cabem no Brasil. Conhecemos mestres da arte popular brasileira que, através de diversas manifestações, preservam e difundem a cultura do país. Tecido, argila, madeira e sons transformam-se em retratos da nossa cultura. São as rendeiras e bordadeiras, os artesãos do tear, os escultores do barro e da madeira, os cantadores de músicas tradicionais e os que produzem instrumentos tipicamente brasileiros. Distantes dos grandes centros urbanos, eles imprimem em seu trabalho a estética do Brasil profundo, das pequenas vilas isoladas, dos rastros do contato com a cultura indígena, quilombola e européia. A série também revela modos de vida e tradições de diversas regiões. Mostramos a sabedoria das lavadeiras das beiras de rio, a lida das doceiras, a aridez da rotina dos vaqueiros dos sertões, o trabalho dos moradores de áreas rurais da região Sul em baixas temperaturas e as estratégias de sobrevivência de pequenas comunidades isoladas pela seca do nordeste. Visitamos a caatinga, o cerrado, a mata atlântica, a floresta tropical equatorial e os campos sulinos em busca de ângulos pouco explorados pela mídia convencional.

Classificação Etária Indicativa: Livre

Ano de Produção: 2018

País de Origem:

Classificação Ancine: 01 - Obra Não Publicitária Brasileira, Constituinte de espaço qualificado e Independente.

Dias/Horários: Segunda a quinta às 22h00 / Terça a sexta às 11h30 / Sábados às 22h30

Detalhes Episódio (28/01/2019) Brasil Travessias O Brasil do sertão
Duração: 00:27:26
Sinopse: Neste episódio, começamos uma jornada pelo sertão da Bahia. Em Malhada Grande, conhecemos o tear artesanal, arte dominada por poucas mulheres e que corre o risco de ser extinta. Figura importante no processo de socialização, o tear reúne mulheres que cantam e contam histórias enquanto trabalham no urdimento. No povoado do Joá, vivenciamos a dura rotina dos vaqueiros da caatinga. Com suas vestes de couro e a pele castigada pelo sol, eles enfrentam a lida entre os espinhos das quixabeiras e mandacarus para transportar o gado. Entre os cânions do Rio São Francisco, no coração do Raso da Catarina, encontramos uma comunidade descendente da tribo dos pancararé, que vive isolada e praticamente sem acesso às políticas públicas de Saúde e Educação. Com eles, descobrimos as estratégias ancestrais de sobrevivência às condições extremas da seca e das altas temperaturas. Ao lado do líder da comunidade, percorremos as areias do cânion e testemunhamos a luta de quem precisou beber água de croatá para não morrer de sede nos longos períodos de estiagem.